Buscar
  • Escola Descobrindo a Vida

O BRINCAR NA NOSSA ESCOLA

As crianças aprendem através da relação com outras pessoas, além do

contato com os objetos e com o meio ambiente, explorando e vivenciando,

essas situações. Acreditamos que a criança tem a capacidade de conhecer,

aprender e construir através das trocas e interações entre sujeito e o meio.

Enfatizamos a importância dessas relações no sentido de desenvolver a

capacidade afetiva, a sensibilidade e a autoestima, o raciocínio, o pensamento

e a linguagem no desenvolvimento da criança, quando interage consigo, com

os objetos e com os outros.

O papel do educador é propiciar oportunidades para as crianças brincarem,

propiciar um ambiente de atividades ricas, prazerosas, lúdicas, educativas e

sociais diversas.


O brincar faz parte da vida da criança, simboliza a relação pensamento

ação e torna possível o uso da fala, do pensamento e da imaginação. O mundo

do brinquedo é um mundo composto, que representa o apego, a imitação, a

representação e faz parte da vontade de crescer e desenvolver-se. Faz do

brinquedo a representação, constituindo uma autêntica atividade do

pensamento.

Nestas situações lúdicas percebemos a importância do brincar como forma

da criança expressar-se e desenvolver suas habilidades de criação, de

relacionar-se e de interagir. A criança aprende melhor brincando e muitos

assuntos podem ser ensinados por meio das brincadeiras, as atividades com

jogos ou brinquedos podem ter objetivos didático-pedagógicos que visem

proporcionar o desenvolvimento integral do educando.

O ideal, de acordo com nossa vivência, é que as escolas de educação

infantil devem ter espaços e recursos que promovam a hora da brincadeira livre

e dirigida. Livre: onde a criança se expressa e desenvolve sua criatividade, o

educador não interfere, apenas observa e nesse brincar espontâneo, podemos

diagnosticar as ações da criança. Dirigida: a criança tem uma meta a alcançar,

estabelecida pelo educador que passa a ser o orientador, o mediador e o

parceiro nesse processo.

Todavia condicioná-los rotineiramente a atividades exclusivamente

dirigidas, inibe o processo de criação, curiosidade e espontaneidade da

criança, fazendo com que ela não consiga expressar seus desejos e recusas,

limitando o desenvolvimento da autonomia. Os materiais devem estar dispostos

nas salas em mesas ou prateleiras, de forma que a criança possa escolher

apanhar e usar qualquer um, à sua vontade. O trabalho livre e criador,

realizado de forma diversificada é o elemento propulsor essencial do

desenvolvimento de atitudes de ordem afetiva, intelectual e social.

Portanto, se na escola, proporcionamos o espaço, disponibilizamos

materiais e até mesmo nos envolvemos na brincadeira da criança, para que ela

livremente se expresse e desenvolva sua criatividade, estamos assim tornando

esse momento educativo, promovendo o desenvolvimento da criança e

respeitando as etapas necessárias para o aprendizado.



0 visualização

R. Prof. Clemente Pinto 701 :: Bairro Teresópolis :: Porto Alegre/RS
Tel (51) 3233.0829 :: E-mail edescobrindoavida@gmail.com